Unções Estranhas - 2 (A unção do Riso)


Posto agora o 2º vídeo da série "Unções Estranhas". Agora uma bem conhecida chamada unção do riso. Achei no blog do Pr. Ciro, uma carta que o pastor que cuidava da igreja que começou essa unção do riso(ou benção de Toronto) escreveu para poder se confenssar ou arrepender-se.

Abaixo a carta.
---------------------------------//-----------------------------------------------------------
Muitos pastores hoje têm apostatado da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios (1 Tm 4.1). Mas quero apresentar aqui um caso de “apostasia ao contrário”. Paul Gowdy, um pastor canadense que abraçara aberrações como “cai-cai” e “unção do riso”, arrependeu-se (glória a Jesus!) e escreveu, há algum tempo, uma carta falando de sua transformação.
A carta do pastor Gowdy menciona uma série de heresias, modismos e manifestações demoníacas que, infelizmente, a igreja brasileira está experimentando hoje. O texto é longo, mas serve-nos de alerta. Confira. Vale a pena.

Aqui começa a carta, publicada em parte:
Levei nove anos até criar coragem e escrever este relato. Demorei porque não tinha convicção de que seria correto falar sobre as fraquezas do corpo de Cristo publicamente. Em segundo, porque tinha que fazer uma jornada espiritual de busca em minha alma e me convencer de que o que havia ocorrido na Igreja Aeroporto de Toronto foi ruim ou pelo menos pior do que bom.
Durante alguns anos falei da experiência de Toronto como uma bênção misturada. Penso que James A. Beverly o chamou assim em seu livro Risada Santa e a Bênção de Toronto 1994. Hoje diria que foi uma mistura de maldição, concluindo que qualquer coisa boa que alguém recebeu através desta experiência pessoal é enormemente ultrapassada pela gravidade do mal e do engano satânico. Aqui residia meu grande dilema (...)

UNÇÕES ESTRANHAS

Depois de três anos fazendo parte do núcleo da bênção de Toronto nossa Igreja Vineyard em Scarborough ao leste de Toronto, praticamente se auto-destruiu. Devoramo-nos uns aos outros com fofocas, falando mal pelas costas, com divisões, partidarismo, críticas ferrenhas uns dos outros, etc. Depois de três anos “inundados” orando por pessoas, sacudindo-nos, rolando no chão, rindo, rugindo, rosnando, latindo, ministrando na igreja Internacional do Aeroporto de Toronto, fazendo parte de sua equipe de oração, liderando o louvor e a adoração naquele local, praticamente vivendo ali, tornamo-nos os mais carnais, imaturos, e os crentes mais enganados que conheci. Lembro-me de haver dito ao meu amigo e pastor principal da igreja de Vineyard de Scaraborough em 1997 de que, desde que a bênção de Toronto chegou ficamos esfacelados. Ele concordou.
Minha experiência é de que as manifestações dos dons espirituais de 1 Coríntios 12 eram mais comuns em nossas reuniões antes de janeiro de 1994 (quando começou a bênção de Toronto) do que durante o período da suposta visitação do Espírito Santo. No período de 1992-1993 quando orávamos pelas pessoas experimentamos o que chamo de a verdadeira profecia, libertação e graça vindas de nosso Senhor. Depois que se iniciou a bênção de Toronto, os períodos de ministração mudaram, e as únicas orações que ouvíamos era: “Mais, Senhor”; com gritos de “fogo!”, sacudidelas esquisitas do corpo, e expressões de “Oh! Uuu! Yehh” (...)
Desde que deixei de fazer parte das igrejas Vineyard, li muitos comentários e análises críticas. Alguns escreveram que a bênção de Toronto era uma grande conspiração que trazia heresia ao corpo de Cristo. Minha convicção é de que a heresia e a apostasia são apenas o resultado, mas nada do que aconteceu ali era intencional. Estou convencido de que os líderes das igrejas Vineyard são pessoas sérias que experimentaram um novo nascimento, amam o Senhor, mas caíram no laço do engano. Não amaram o Senhor o suficiente para guardar os seus mandamentos. Fracassaram por não obedecer as Escrituras, e se desviaram porque anelavam algo maior e grandioso, mais empolgante e dinâmico. Eu também cometi este pecado. Preguei sobre esta renovação na Coréia, no Reino Unido, nos Estados Unidos e aqui no Canadá, e estou profundamente arrependido ao escrever este relato, e peço-lhes que vocês, a noiva e o corpo de Cristo me perdoem, especialmente os pentecostais e carismáticos, pois todos fazem parte de minha família teológica.
Sou um crente “evangelical”, sempre o fui e jamais cri que os dons espirituais cessaram no fim da era apostólica. Creio que minhas raízes evangélicas (minha família é de Batistas e eu tive uma experiência de conversão e novo nascimento na igreja Presbiteriana) começaram a abrir os meus olhos para os problemas com a chamada renovação. Hoje, olhando pra trás fico me perguntando como fiquei tão cego assim? Eu via as pessoas imitando cachorros, fazendo de conta que urinavam nas colunas da Igreja do Aeroporto. Observava as pessoas agirem como animais latindo, rugindo, cacarejando, fazendo de contas que voavam, como se asas tivessem, comportando-se como bêbados, entoando cânticos “sem pé nem cabeça”, isto é, sem sentido algum. Hoje fico perplexo em pensar que eu aceitava tais coisas como manifestações do Espírito Santo. Era algo irreverente e blasfemo ao Espírito Santo da Bíblia.
Naquele tempo pensava que, enquanto não ensinassem qualquer coisa que violasse as Escrituras, o que experimentávamos e víamos podia ser encaixado no campo do que chamamos de exótico. É um zumbido de manifestações que não encontram justificativas na perspectiva bíblica. Ensinaram-nos nas pregações que tínhamos apenas duas opções: uma enfermaria pulsando a vida (de bebês) em meio a fraldas sujas e crianças chorando ou o cemitério, onde tudo está em ordem, mas só há mortos. Pastor jovem e inexperiente optei pela vida no caos. Não percebia que Deus quer que amadureçamos e que cresçamos nele.



video

Deus opera onde há ordem e decência! Acredito no mover do Espírito Santo, porém algumas coisas são demais.

Edcleyton Souza

This entry was posted on domingo, 12 de outubro de 2008 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

One Response to “Unções Estranhas - 2 (A unção do Riso)”

  1. e dons do espirito santo ou ate cair na unção posso dizer que experimentei e ja orei e oro pela graça do nbosso Senhor Jesus por pessoas que cairam na unção outras foram libertas de demonios.

    MAs... algumas coisas precisamos realmente ficar experto pois muitas coisa sao esquisitas porem tenho muiyo temor ao falar nesse assunto...

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar em meu blog. Espero que você tenha sido edificado pelo conteúdo aqui exposto. Volte sempre e que Deus te abençoe.